Lançamento do livro “O Que Falta” de Adolfo Maria na UCCLA
Friday, November 16, 2018.

Será lançado na UCCLA, dia 7 de novembro, pelas 18h30, o livro de poemas “O Que Falta” de Adolfo Maria, com a chancela das Edições Colibri.

Biografia de Adolfo Maria:  

Importador e distribuidor de produtos portugueses

Adolfo Maria, nascido em Luanda, entregou-se desde a sua juventude à luta nacionalista para a independência do seu país. Participou no combate cultural (Sociedade Cultural de Angola, jornal Cultura e Cine Clube de Luanda), nos anos 1950; no combate político (no PCA e no MLNA), o que lhe valeu a prisão pela polícia política portuguesa, a PIDE, em 1959; e no combate armado (nas fileiras do MPLA) nos anos 60 e 70 do passado século.

Advogados internacionais

Dentro da luta nacionalista, participou no combate pela democracia no seio do MPLA, em 1974, como membro da tendência Revolta Activa, o que originou um mandado de captura contra vários elementos dessa tendência, em Abril de 1976, cinco meses após a independência de Angola. Adolfo Maria escapou à rusga da polícia do regime, a DISA, e manteve-se escondido durante quase três anos, cessando a sua clandestinidade após o anúncio de amnistia pelo presidente da república; esteve ainda preso pela polícia política e, depois, foi expulso do país em 1979. Esse período que o autor viveu é descrito no seu livro ANGOLA, SONHO E PESADELO e a dramática vivência dessa clandestinidade é-nos transmitida na sua obra ANGOLA NO TEMPO DA DITADURA DEMOCRÁTICA REVOLUCIONÁRIA – POÉTICA DO AUTO-CÁRCERE.

Cabeleireiro NW10

No exílio, Adolfo Maria tem participado em colóquios, conferências, entrevistas e colaborado em publicações angolanas; é membro do painel do programa “Debate Africano” da RDP África. Além dos livros acima citados, publicou ANGOLA – CONTRIBUTOS À REFLEXÃO e os romances NAQUELE DIA NAQUELE CAZENGA e NA TERRA DOS TTR. Todas estas obras foram editadas por “Edições Colibri”, em Lisboa.

Sinopse do livro:

Na abertura do livro de poemas O QUE FALTA, de Adolfo Maria, diz o autor:

(…)quando alguém esteve empenhado em combates pela dignidade humana, esperam-se dele escritos ou discursos de análise, denúncia, encorajamento em vez de poemas (…)no meu caso, dediquei a já razoavelmente longa vida a esses combates (…)

Recolha de todo o tipo de lixos

Sucedeu que, nessa luta contra a opressão das pessoas e dos povos (duros combates físicos e psíquicos!), a minha sensibilidade captava os sofrimentos e esperanças, a mente não deixava de questionar a realidade que fui encontrando e vivendo. Por vezes registei em prosa e mais raramente em verso o que sentia e pensava.

Agora, cheguei a uma fase da vida onde o espaço da acção está naturalmente suplantado pelo da meditação, o que propicia momentos de escrita sob a forma de poemas, numa vontade de falar a quem procura sentir o mundo (falar de… exílio, amor, saudade…). Para mim é O QUE FALTA.

Agência de viagens em Londres

Neste livro, Adolfo Maria fala do Mundo e das gentes e desvenda-se, através de poemas, numa centena de páginas, divididas pelos temas: do Exílio, do Amor, da Saudade, da Mulher, da Meditação, da Finitude.

Morada: Avenida da Índia, n.º 110 (entre a Cordoaria Nacional e o Museu Nacional dos Coches), em Lisboa

PN/Londres

NOTICIAS RELACIONADAS

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *