Génio criativo português na Medina africana
Friday, October 19, 2018.

Chama-se João Ribeiro, é de Lisboa e fomos descobri-lo em Marraqueche em plena Medina. Subimos a uma esplanada para nos refrescar do intenso calor de África quando percebemos que havia dois homens a falar português numa das mesas. Estava descoberto o primeiro dos nossos alvos.

Restaurante Português em Londres

João, estava acompanhado por um jornalista, também ele poriratuguês em trabalho. João Ribeiro estava pois em amena cavaqueira com o jornalista português quando decidimos interromper. Fomos convidados a partilhar a mesa e combinamos gravar no dia seguinte. Por acidente, acabamos por passar a rua onde João tem a sua loja de moda e acessórios. Joykech Bazer / Bohemian Shop.

Loja do empresário português Joykech Bazer Bohemian Shop. Medina.

– Sou um homem do mundo – começa por nos dizer João que sempre trabalhou nos segmentos do moda e imagem.

Quisemos saber como tinha João tropeçado na Medina, o lugar improvável que os artistas escolhem.

– Profissionalmente a minha actividade em Portugal estava relacionada com mudanças de imagem, moda e estilismo e participei em diversos trabalhos de televisão e revistas de moda. Passei várias temporadas na Índia e foram já vários os locais onde vivi. Na última temporada em Portugal, decidi ausentar-me de novo e procurei um lugar que fosse exótico para me ajudar nas minhas criações e que ao mesmo tempo fosse próximo de Lisboa por razões de ordem pessoal e familiar a India tinha-se tornado longe.

Infantário – Lambeth

A minha experiência profissional também passou por organizar eventos como festas e casamentos e Marraqueche era dos meus destinos frequentes. Decidi deixar tudo em Portugal e começar de novo. De vez em quando é preciso mudar e partir para outra. Calhou Marraqueche.

Portuguese Restaurant Stockwell

Nas razões para esta escolha, João Ribeiro defende que a cidade de Casablanca não tem  charme suficiente e as outras cidades não me seduzem. Seria Essaouira ou Marraqueche e eu optei por esta última diz o português que escolheu o exotismo como referência para viver em 2010.

Serviços de tradução. Contabilidade e financiamentos

Pelo caminho, assistiu à chegada de vários portugueses a Marraqueche em turismo.

– Passou o tempo em que os próprios vendedores de Marraqueche, quando ouviam falar português, comentavam que não valeria a pena insistir. «Estes não têm dinheiro». Esse tempo mudou. De uns anos a esta parte, há muito mais portugueses a viajar para Marraqueche e com mais poder de compra. Hoje o português é bem visto na Medina e considerado um potencial bom cliente porque compra e gasta dinheiro. Nota-se que Portugal tem hoje um melhor nível de vida e viaja mais.

Já quanto o volume de portugueses a residir na cidade, João Ribeiro não tem muita informação.

– Não gosto de guetos e nunca procurei os portugueses a exemplo do qe acontece com os franceses e os italianos que se relacionam entre eles. Não é o caso dos portugueses e não é o meu caso – revela para acrescentar – Eu estou aqui para estar tranquilo e os ambientes comunitários têm tendencialmente um ambiente de diz que disse que não me agrada. Mas também acredito que não haja. Se houvesse, oito anos teriam sido suficientes para eu saber.

Restaurante Bar Dancing Londres

Com algum esforço de memória, João lá vai lembrando uma “portuguesa que esteve casada ou namorou com um marroquino e esteve cá a tomar conta de um riad. Conheço a Beatriz cujo marido, creio que inglês, tem um hotel nas montanhas. Conheço uns portugueses que estiveram associados com uns marroquinos no Sul (deserto) para terem uma agência, conheço um português que vem cá frequentemente em viagens organizadas mas a viver cá não conheço.

João, reconhece porém que já existem muitos portugueses com negócios em Marrocos. Não apenas em Marraqueche. Não são no entanto residentes.

Portuguese Restaurant Stockwell
Portuguese Restaurant

– A melhor loiça que se vende em Marrocos, é portuguesa. Se formos a um bom hotel, a bom riad, quando viramos o prato descobrimos que é português de Alcobaça ou Vista Alegre. É normal levantar um prato e descobrir que é loiça portuguesa.

João Ribeiro, falou-nos de uma loja em Marraqueche com estas loiças. Visita que fizemos e de que falamos noutro artigo. Do outro lado da barricada, os acordos entre Portugal e Marrocos que tem levado para Marrqueche empresas de construção civil mas que nem assim deixa ver os portugueses residentes.

Quanto a encontrar um restaurante português, João Ribeiro deixou-nos tranquilos. “Não há” – foi a resposta. “Ainda ninguém se terá lembrado”.

Sobre a ausência de contactos entre os portugueses ali residentes, nado conseguimos apurar.

Restaurante Mercearia

– Não penso voltar a Portugal mas não estou zangado com Portugal. É uma fase da minha vida. Continuo a ser cidadão do mundo. Hoje estou aqui. Amanhã, poderei estar na índia, na China ou voltar a Portugal onde vou frequentemente seja ou não em trabalho.

Quanto à empresa que João Ribeiro tem numa das tradicionais ruas de Medina, Joykech Bazar / Bohemian Shop, é um desafio para imaginação do criativo português.

– As coisas que faço, os colares que faço, tudo tem que ver com a inspiração que a cidade me oferece em termos de inspiração Berbere. É uma cidade muito rica sob o ponto de vista da inspiração – conclui.

João Ribeiro, que também pinta, usa essa criatividade no design e na elaboração de acessórios de moda de uma forma apaixonada.

Hotel Medina – Marraquexe

– Faço peças únicas inspiradas no mundo berbere. As roupas e tudo o que a completa tem uma inspiração que nasce nesta cidade. Depois tenho os clientes que vêm cá fazer as compras e vendem nas suas lojas em Portugal – diz o empresário.

Sobre a produção dos seus produtos, João Ribeira denuncia os percursos.

– Tudo é feito por mim. Os materiais são de cá e faço funcionar os artesão locais para a produção de peças inspiradas na arte e a maior parte das coisas são feitas à mão – revela a acusar essa inspiração do Norte de África a que João Ribeiro acrescenta um ar de modernida

Produtos da loja

de e privilegiando os artesão do país – remata.

Para quem vive no Reino Unido, João Ribeiro deixa uma mensagem. “Vir a Marraqueche é uma experiência única e conhecer as novas lojas como a minha que privilegia o trabalho feito à mão pelos artesãos é também uma forma de ajudar esses artesãos promovendo também o trabalho de nós os estrangeiros que cá estamos. E eu sinto gosto neste trabalho de vender coisas únicas feitas por mim. É o meu mundo – atalha.

João Ribeiro, aposta ainda nestas visitas que potenciam oportunidades de negócio.

– Eu vendo para todos os lados do

West Norwood – Londres

mundo e muitos dos meus clientes são lojas. O facto de serem peças únicas não implica que não possam ter réplicas – diz João Ribeiro que procura em Londres oportunidades para colocar os seus produtos dentro do conceito que tem.

– Eu detesto o trabalho em série. Isso é assunto para as grandes marcas. Na minha loja, o máximo serão três peças com o mesmo estampado e os acessórios são todos diferentes. Privilegio as peças únicas para que os meus clientes não tenham a sensação de vestir o mesmo que milhares de outras pessoas. Sou anti-tudo igual. Na minha loja os clientes sabem que estão a comprar um exclusivo – revela.

Café Bar Restaurante – Camden Town – Londres

Se for a Marraqueche mergulhe na Medina e descubra este português criativo que encontrou na cidade um espaço de fantasia para constituir um negócio que também funciona através de encomendas pela internet.

– A loja mesmo fechada está sempre a vender.

Alcino Francisco

PN

NOTICIAS RELACIONADAS

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *