Eleições: Imigração no Reino unido reclama das eleições
Sunday, November 17, 2019.

Estimam-se em vários milhares os portugueses a residir no Reino Unido que não puderam votar nas eleições legislativas de 6 de outubro passado.

Recolha de todo o tipo de lixos

“Foram centenas os casos detctados antes do dia das eleições de pessoas que não receberam os boletins de voto ou que os viram devolvidos pelos «Post Officce» (Correios do Reino Unido)” – disse ao Palop News fonte da Secção do PSD.

“Conhecemos vários casos de pessoas que simplesmente não receberam o boletim de voto” – acrescenta fonte da Secção do PS para o Reino Unido.

O Palop News, tem ainda conhecimento de movimentos cívicos que se encontram a desenvolver esforços no sentido de apurar responsabilidades. “Se virmos que há razões para tanto poderemos mesmo chegar ao Ministério Público no sentido de responsabilizar quem permitiu que esta situação tivesse acontecido” – diz um membro de um movimento cívico no Reino Unido.

Alimentação sem Glúten 100%

O Conselheiro António Cunha, refere estar “triste e desiludido com a linha de pensamento do Governo” tendo mesmo escrito cartas a alguns governantes tendo obtido resposta do Secretário de Estado. “Sou um cidadão português e exijo votar” – disse o conselheiro António Cunha ao Palop News para acrescentar que reclamou também junto do Consulado Geral de Portugal em Londres.

“Enviei o meu voto e tive o cuidado de escrever as palavras inglesas «from» e «To» e a carta com o meu voto mesmo assim veio devolvida duas vezes” – afirma António Cunha.

O conselheiro, integra o Movimento Também Somos Portugueses que foi responsável pela alteração da Lei Eleitoral recentemente aprovada pelo Parlamento em Portugal, que tornou o recenseamento automático para os portugueses residentes no estrangeiro.

West Norwood – Londres

António Cunha refere ainda ter recebido o seu boletim de voto após o dia das eleições que decorreram a 6 de Outubro.

O Grupo Cívivo e o Movimento Também Somos Portugueses unem a sua voz ao conselheiro no sentido de exigir o voto pela internet para os portugueses a residir fora do território nacional. “É preciso chamar a atenção do Conselho permanente para que se trabalhe em conjunto pela defesa do voto electrónico” – diz António Cunha que é também membro do Órgão.

PN/Londres

NOTICIAS RELACIONADAS

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *