Palop News, Noticias em Portugues no Reino Unido

  • Aumentar fonte
  • Tamanho normal
  • Diminuir fonte
Home Reportagens Reportagens Foi mãe sem saber

Foi mãe sem saber

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
Soraia Pereira, é brasileira, vive em Londres e tem o seu casamento com um português assente em Alter-do-Chão, em Santarém. Licenciada em Direito, é conhecida da Comunidade Portuguesa por integrar o voluntariado no Portuguese Community Centre em Kennington, no Litle Portugal, onde presta apoio jurídico gratuito por referência do próprio Centro Comunitário.
Ao abrigo da sua ligação à Comunidade em Londres e do seu casamento com um português, requereu o estatuto de Nacionalidade Portuguesa.
"A resposta, revela-se um numero de circo" - revela Soraia Pereira ao nosso jornal, motrando a decisão assinada pela Procuradora Gabriela Gonçalves Coelho.
A redação do documento, logo no seu Artigo 1º, revela erros de simpatia que sugerem um trabalho de repetição sem leitura atenta. Ao referir "em  Americana" na questão geográfica da exposição, a Procuradora sugere que o documento não tenha sido lido antes de assinado.
Num País que oferece identificação nacional a quem adquire imobiliário, torna-se complicado perceber a ausência de leitura do vínculo familiar, pilar da sociedade. "Na decisão falam dos meus filhos..., que eu não tenho" - revela Soraia Pereira. "Copiaram o processo de alguém e simplesmente colaram no meu sem ler os meus argumentos e sem olhar para as provas que juntei ao processo" - revela.
"Exerço advocacia num dos mais reputados escritórios de Londres e ofereço volutáriamente o meu saber gratuitamente em horário fixo junto da Comunidade. Que mais preciso para estar envolvida e fazer parte dessa comunidade?" - pergunta a advogada que acrescenta - "Estou presente nos eventos, participo com o meu marido na vida cultural da comunidade portuguesa em Londres e definitivamente o que Portugal me recusa, é-me oferecido pelo Reino Unido" - atirando por terra o argumento português da sua necessidade de um passaporte para circular na Europa.
"Até a minha data de nascimento foi alterada. Receio que o meu processo não tenha sido lido ou mesmo que tenha sido trocado" - afirma à nossa reportagem para adiantar: "Entreguei todas as provas do meu envolvimento com a Comunidade Portuguesa em Londres nos ultimos cinco anos e levo seis anos de casamento registado em Portugal" - afirma.
A cereja no topo do bolo, vem porém com a filiação. Não só passou a ser mãe sem saber, como mudou de filiação. "Trocaram o nome dos meus pais" diz para acrescentar - "Como acreditar numa justiça sem preconceitos se nem tiveram a capacidade de analisar os documentos que apresentei e ainda copiaram uma outra decisão, com dados de outras pessoas? Incrivel!!" - refere.
No outro lado da moeda, o contexto dos discursos políticos que falam de "povos irmãos" mas que na prática colidem com a incompetência do Corpo Jurídico.
Acima de toda a discusão jurídica, Soraia Pereira desembolsou já largas centenas de euros no tratamento de um processo que teima em estacionar nas questões borucráticas e que tem como garantia que terá que continuar a investir para cima das mil e 500 libras que já gastou.
Para exemplo aos cidadãos, fica a história de alguém que tem vencimento pago pelos contribuintes e que mostra uma incompetência a toda a prova por assinar documentos que decidem a vida de outra pessoa sem ler o que assina. O mesmo se aplica ao Oficial de Justiça António Ventura, que também rubricou o documento sem acusar a sua leitura.
Mal vai o Reino quando, na própria Justiça acontece que haja quem assine sem ler e mande publicar em forma de decisão.
Apesar das diversas tentativas para contactar o Tribunal Administrativo de Círculo de Lisboa ao longo de alguns dias, não foi possível questionar as autoridades envolvidas por não atenderem o telefone.
No resumo, Soraia Pereira, trocou a idade, trocou de pais, ganhou uma filha e pagou.
Resumo de como em muitos casos, funciona a Justiça em Portugal.

 

Comentários  

 
0 #1 Ivonne 23-08-2017 15:48
sou Ivonne tenho 35 anos e estou no Brasil desde meus 4 anos, sou casada 6anos Juliano é Bombeiro Militar e temos 1filho de 5 anos de idade, desde 2013 abri empresa MEI, ainda quero me Naturalizar pois perdi oportunidades, será que consigo a Naturalização especial.?. gostaria de ajuda.
Citar
 

Comentar


Código de segurança
Actualizar


Page Peel Banner

Tradutor

Portuguese English French German Italian Spanish
Faixa publicitária

JoomCategories for JoomGallery