Palop News, Noticias em Portugues no Reino Unido

  • Aumentar fonte
  • Tamanho normal
  • Diminuir fonte
Home Notícias gerais Notícias gerais Aumento de salário mínimo diferente para Londres

Aumento de salário mínimo diferente para Londres

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
O jornal hispânico "El Ibérico" publicado em Londres, acaba de anunciar o aumento do salário mínimo em Londres para £10.20/hora que chegou a mais de 150 mil trabalhadores. Aquilo que os ingleses chamam de "living wage", pode traduzir-se em português como "salário digno", e leva em conta o custo de vida mais alto em Londres por força dos valores do arrendamento, alimentação e dos transportes. "Assim, o aumento será de 3.6% (£8.75) no Reino Unido e de 4.6% (£10.20) para Londres.
Este aumento, é no entanto voluntário para as empresas que pretendam adoptar os valores mencionados. Cerca de 3.600 empresas em todo o Reino Unido aceitaram pagar o novo valor que entra em vigor em Novembro de 2017. A Google e a Ikea, são duas das empresas mencionadas que decidiram acatar o novo valor.
No jornal The Guardian, Katherine Chapman, diretora da Living Wage Foundation, afirmou que o aumento do salário digno, é calculado segundo a inflação local.
De fora deste acordo voluntário, ficam dois terços das empresas britânicas. As cadeias de hoteis de luxo, a Shell, a Vodafone e muitos dos clubes de futebol de Premiere Ligue são alguns dos exemplos."É impressionante ver que muitas das maiores empresas do Reino Unido se recusam a pagar aos seus empregados um salário digno. É ainda mais terrível quando se considera que o salário médio de um chefe do FTSE 100, é agora 300 vezes maior do que o de um trabalhador assalariado", afirmou o diretor executivo da Equality Trust, Wanda Wyporska citado no El Ibérico.
Chapman afirma ainda que 5.5 milhões de trabalhadores são afectados por aquilo a que chama "A pobreza no trabalho" quando se refere ao salário mínimo obrigatório de £7.5/hora, insuficiente para uma vida digna em Londres.
Dois funcionários de limpeza foram demitidos na Ferrari e Mesarati por terem pedido um aumento salarial. Acabariam por ser reintegrados depois de intensa luta pelos seus direitos. Fredy Lopez, de 51 anos e Angelica Valencia Bolaños de 49, foram suspensos em setembro, depois de terem votado a favor de uma greve para exigir um salário digno - revela o El ibérico.
Há porém várias empresas que já aderiram ao "Salário Digno". O aeroporto de Heathrow anunciou que aderiu á sugestão do salário digno, o que significa que mais de 3.200 trabalhadores, incluindo pessoal de limpeza e pessoal de segurança, vão ver os seus salários semanais aumentados em até 100 libras por semana. Mais de 150 empregadores aderiram também a esta filosofia nos últimos dias, incluindo a Galeria Nacional, o Southbank Center e a Somerset House.
O Mayor de Londres Sadiq Khan aplaude a iniciativa ao mesmo tempo que aceita que os baixos salários e as desigualdades continuam a ser um problema na capital britânica. "Londres é uma das economias mais dinâmicas e prósperas do mundo, mas, infelizmente, essa prosperidade não é compartilhada por todos os londrinos. Na capital britânica, mais de 2 milhões de pessoas lutam para sobreviver e a diferença salarial étnica é chocante e inaceitavelmente grande " - diz o Mayor Khan para acrescentar - "Pagar um salário decente em Londres não é apenas a ação de uma organização responsável, mas também bem sucedida. Muitos dos empregadores credenciados com quem contacto, falam sobre o aumento da produtividade e a redução do volume de negócios que experimentaram desde que se inscreveram ".

PN

Data: 18 Novembro 2017
 

Comentar


Código de segurança
Actualizar


Page Peel Banner

Tradutor

Portuguese English French German Italian Spanish
Faixa publicitária
Faixa publicitária

JoomCategories for JoomGallery