Palop News, Noticias em Portugues no Reino Unido

  • Aumentar fonte
  • Tamanho normal
  • Diminuir fonte
Home Cronistas Manuel Gomes Desculpa dobrada

Desculpa dobrada

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
No espaço de poucas horas, dois ministros portugueses vieram a público pedir desculpa pelas decisões erradas que tomaram no exercício das suas funções.
Uma parte da população, vê este gesto como uma forma de os ministros afinal, fazerem parte da mesma massa humana que qualquer um de nós e assim, o que nos une à classe política, é a capacidade de cometer erros. Errar, humano é.
Uma outra franja da cidadania, vê estes pedidos de desculpa como uma nova forma de a classe política comunicar com o seu eleitorado que se irá esbatendo na mesma proporção em que se aproximam as eleições.
A questão que fica por saber, é se os professores que ficam no desemprego, têm espaço moral suficiente para desculpar o Ministro da Educação ou, se os autores dos processos judiciais prescritos, têm a mesma bagagem para desculpar a Ministra da Justiça.
Na verdade, em ambos os casos, muitas pessoas foram vitimas de erros dificilmente reparáveis nas questões que estão na origem destes pedidos de desculpas.
Eu, teimoso do pensamento, continuo a pensar que estes pedidos de desculpa, só serão aceitáveis quando forem recíprocos, ou seja, quando o assunto andar nos dois sentidos.
O cidadão, não tem o direito de se enganar e pedir desculpa ao polícia para evitar a multa. O cidadão, não tem o direito de pedir desculpa por se enganar a preencher o seu registo fiscal. O cidadão não tem o direito de se atrasar no pagamento dos seus impostos. O cidadão não tem o direito de pedir desculpas à Administração pelos erros cometidos, logo, não se entende de que forma é possível a Administração use de um direito que não oferece a ninguém e sendo um direito uvíbico, não colhe junto da população que ainda por cima tem a memória curta.
A Administração tem todos os recursos necessários para evitar um pedido de desculpas. Têm os meios financeiros, têm a gestão das universidades e por esta via os melhores técnicos, têm até os ministros, salvadores da Pátria a quem não é aceitável um pedido de desculpas.
Não quero porém ser identificado como a tesoura das unhas curtas e pretendo mesmo dar aos ministros o benefício da desculpa. 
Quando o cidadão infringe a Lei, pode até pedir desculpa mas não escapa à penalização. Nunca pensamos na possibilidade de alguém pedir desculpa a um Juíz e com isso sair em liberdade. Nunca pensamos na possibilidade de pedir desculpa à Repartição de Finanças e ficarmos isentos da multa. Nunca pensamos em pedir desculpa ao polícia e ter a multa perdoada.
Assim, aceito o pedido de desculpas de ambos os ministros mas insisto em que este pedido de desculpas venha servido de forma completa.
Com flores e um pedido de demissão.
Manuel Gomes
 

Comentar


Código de segurança
Actualizar


Page Peel Banner

Tradutor

Portuguese English French German Italian Spanish
Faixa publicitária
Faixa publicitária

JoomCategories for JoomGallery