Palop News, Noticias em Portugues no Reino Unido

  • Aumentar fonte
  • Tamanho normal
  • Diminuir fonte
Home Aconselhamento legal EIRELI. Brasil dá mais um passo

EIRELI. Brasil dá mais um passo

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
O Brasil acaba de criar uma importante legislação que permite criar empresas de responsabilidade limitada com um sócio. A exemplo do que já se passa em Portugal em que a empresas pode ser limitada através do registo unipessoal, também o Brasil dá agora, através do EIRELI, essa possibilidade.
Em Londres, contactamos a especilista Vitória Nabas que nos explicou como funciona e a quem se destina. Um banho sobre como investir com o "jeitinho" brasileiro.
- O que é o EIRELI?
- Apenas uma sigla que define uma legislação criada no Brasil para criar empresas de responsabilidade limitada com um só sócio. Em Inglaterra, é possível haver uma empresa de responsabilidade limitada com apenas um sócio, ou dois sócios. No Brasil, isso não era possível já que a criação de uma empresa limitada (Ltª ou LTD) só era possível com um mínimo de dois sócios. Agora já é possível através do EIRELI que as empresas de um só sócio sejam de responsabilidade limitada.
- Isso significa que no Brasil a partir de agora pode um "self employed" passar a Limitada?
- A questão é que um "self employed" pode fazer negócios em nome pessoal e em nome de uma EIRELI (Empresa Individual de Responsabilidade Limitada). A diferença, consiste em que no caso da EIRELI, as dívidas da empresa respeitam apenas à empresa e não ao património pessoal da pessoa.
Se o negócio for feito por um "sold trade" como se diz em Inglaterra, o capital e património pessoal estará envolvido e responde pelas dívidas comerciais.
- Para constituir uma EIRELI, qual é o capital social mínimo?
- São 100 vezes o salário mínimo do Brasil. Atente-se que o Salário Mínimo no Brasil muda várias vezes por ano. Neste momento o valor aproximado anda na ordem das £21.500.00 libras.
Cada vez que o valor do Salário Mínimo muda, muda também o valor do investimento no Capital Social da empresa.
- Em caso de falência, as responsabiliadde não caiem no património do empresário?
- Não. Essa é a vantagem de ser EIRELI ou empresa de responsabuilidade limitada. Nenhuma esponsabilidade cai pessoalmente no empresário. Só o capital da empresa responde pelas dívidas da empresa como qualquer outra empresa Limitada.
- É possível ser uma EIRELI sem um sócio brasileiro?
- Você pode ter uma EIRELI mesmo sendo estrangeiro mas precisa da figura do Administrador. Este Administrador sim, tem que ser brasileiro. Em todo o caso, a figura do Administrador brasileiro é sempre necessária independentemente do numero de sócios da empresa.
- O Administrador é envolvido no capital da empresa?
- Pior que isso. Ele é envolvido pessoalmente nessa responsabilidade.
- O Administrador responde pessoalmnete pelos negócios da empresa?
- Sim.
- Significa isso que um empresário pode investir deixando a responsabilidade nas costas do Administrador brasileiro?
- Sim senhor. Já aconteceu várias vezes. Muitas vezes os brasileiros ficam bobos com o cargo do Administrador que é um cargo de visibilidade mas na verdade não é.
- Pode ser um engano?
- Como engano?
- Posso criar uma EIRELI no Brasil deixando depois o Administrador responder pela empresa na justiça?
- Sim. É terrível.
- Isso não é uma injustiça?
- E quem disse que a vida é justa? Isso já aconteceu várias vezes e muitas pessoas infelizmente, passaram por problemas graves. O que acontece, é que quando uma empresa estrangeira abre no Brasil, o fisco brasileiro obriga a ter um brasileiro responsável exactamente para evitar que haja golpes contra a empresa e contra o sistema brasileiro. Isso não é uma coisa nova que o EIRELI tenha criado.
Acontece que há pessoas que montam a empresa no Brasil e acabam pedindo o visto de residência no Brasil e aí, essa pessoa pode ser o Administrador da própria empresa. Contudo, se o empresário ou empresários viverem fora do Brasil, o Administrador brasileiro é o responsável mas isso já acontecia antes.
- Quais são as condições para se ter um visto como empresário no Brasil sendo investidor EIRELI?
- A questão dos vistos é um processo separado. Ter uma EIRELI não garante o visto de residência e são processos distintos. São legislações diferentes a exemplo da Inglaterra onde você pode ter uma empresa mas não ter o visto de residência*.
Só por abrir a empresa não significa que você possa residir no Brasil. Em todo o caso, o mínimo para abrir a empresa com dependência de gestão pessoal, a empresa tem que ter 150 mil reais de capital social e empregar 10 pessoas brasileiras e um plano de negócios para dois anos de trabalho. O visto, será de trabalho e não de residência.
- Quando entra em vigor o EIRELI?
- Já entrou no dia 9 de janeiro.
- Para associar um visto ao facto de se ter uma EIRELI, o que mais é preciso?
- A resposta não é dada assim. Você está misturando as coisas. Você pode ter uma sociedade limitada e não ter visto para residir. Abrir a sociedade não te dá o direito de morar no Brasil.
- Os portugueses têm algum privilégio?
- Têm privilégios ao nível dos vistos, não para a criação de empresas.
- Que género de privilégios?
- Um português que chega ao Brasil e arranja emprego pode pedir um visto e não entra na mesma categoria que todos os outros.
- Se for um investidor?
- Como investidor não tem qualquer tipo de privilégios. São processos distintos. Qualquer pessoa pode montar a empresa no Brasil e nunca meter os pés dentro de território brasileiro.
- O escritório Nabas Legal está em condições de fornecer soluções para estes assuntos?
- Claro que sim. Neste momento muitas empresas britânicas estão abrindo no Brasil e como o principal problema no Brasil é a burocracia nós estamos cá para ajudar no que for preciso.
- O Brasil ameça estar no top five da economia mundial. Isto constitui atractivo para o investimento no Brasil?
- Sim, constitui mas quando se percebe o conjunto de dificuldades que são criadas pela burocracia brasileira, muitas desistem na metade do caminho.
- As principais dificuldades são apenas burocráticas?
- Abrir uma empresa no Brasil não é barato. As pessoas têm que estar preparadas para investir algum tempo. Não é uma coisa rápida.
- Quanto tempo?
- Para abrir e fazer operar uma empresa no Brasil são necessários no mínimo seis meses.
- Alguma esperança de que a burocracia em 2012 possa perder importância?
- Pessoalmente não acredito. O Brasil vê-se hoje numa situação priveligiada e não se quer mexer para nada.
- Um Brasil "preguiçoso"?
- Acho que sim.
- Como brasileira, o que acha que deveria ser feito nos próximos anos?
- Melhorar a parte burocrática que é um absurdo no Brasil. É uma ignorância total sobre a dinâmica de registos com muita burocracia desnecessária.
- Acha que a burocracia é um "passaporte" para a corrupção?
- Pode ser. Há muita gente que é aí que pode fazer aquilo que chamamos a taxa de "emergência".
- Eliminado burocracia, eliminam-se também rácios de corrupção?
- Acho que sim e mais ainda. Melhoraria toda essa questão de como o Mundo vê o mercado brasileiro.
- Mesmo assim continua como economia emergente para os próximos anos?
- Com a crise mundial claro que é. E aumentam as vontades de investimento no Brasil. Contudo, note-se que é para profissionais. Investir no Brasil é assunto para profissionais. Tem que ter dinheiro e paciência. Não adianta querer fazer barato ou rápido porque não funciona.
- Se um empresário tiver ideias de investir no Brasil, quanto é que acha que ele tem que dispôr para investimento e espera?
- Depende das áreas de actividade e das zonas geográficas. Se for em S. Paulo custa uma fortuna. Se for na Baía fica mais barato. O Brsil é muito grande. São 35 vezes o Reino Unido e não existe uma resposta taxativa para essa pergunta.
- De S. Paulo para a Baía, de quanto pode ser a diferença?
- 500%
- A empresa pode ser instalada na Baía e funcionar em todo o Brasil?
- Não. Não funciona bem assim. No Brasil, os impostos como o IVA (VAT), são estaduais. Se você transitar comercialmente da Baía para S. Paulo, você vai ter que pagar começando na Baía, Minas Gerais e outros estados até chegar em S. Paulo. Cada vez atravessa um Estado, você paga. É uma confusão.
- Aquilo que na Europa se tenta que não exista que é a dupla tributação, no Brasil pode ser tripla?
- Não. Eles debitam-se creditam-se mas empre há alguma coisa que tem de ser feita em termos burocráticos que o contabilista tem que trabalhar. Então, você gasta no contador e depois volta a gastar quando paga primeiro para depois receber de volta.
- Algum dia o Brasil se vai libertar dessa corrente?
- Não creio. A reforma tributária no Brasil já foi tentada várias vezes e não é tão fácil assim.
- Pensa que vai haver muitas empresas a pensar investir no Brasil mas que não irão fazê-lo?
- Acho que vai haver muitas que vão acabar desistindo.
- Com o pejuízo do próprio Brasil?
- Acredito que sim. Com o prejuízo do próprio Brasil
 porque o Brasil poderia ter mais investimento.
- O escritório Nabas em Londres está capacitado para transportar essas empresas até ao Brasil e orientar o investimento?
- Essa é a area do Direito que mais cresceu no escritório e temos tratado de vários processos.
- Na área contabel também?
- Nessa área trabalhamos em parceria com outra empresa. A nossa espcialidade é a área do Direito mas temos parcerias que podem assegurar o resultado final.
- Importação e exportação também mexe no escritório Nabas?
- Temos soluções para cada caso.
- Na relação com os bancos também oferecem soluções?
- Temos vários contactos com bancos brasileiros em Londres e o inverso também. Não é uma garantia de se obter financiamento já que a análise financeira será feita pelo próprio banco mas podemos aproximar as partes.
- Há algum tipo de programa que o Brasil tenha disponível para potenciar investimentos no território?
- Sim se for em áreas que o Governo tenha interesse.
- O que chama de áreas de interesse?
- Existe um banco que se chama BNDES que é um banco estatal e que por sinal é hoje o maior banco do Mundo na frente de todos os bancos privados. Na verdade, é um banco de fomento e existe para ajudar a desenvolver o país e nesse aspecto, o que acontece, é este banco analisa o que você tem. Que tipo de produto, que tipo de projecto ou empresa e verifica se tem interesse para o país ou não. Se tiver, existe a possibilidade de o banco investir e participar no projecto. Se contudo não tiver interesse estratégico, o banco vai ficar fora do investimento.
- A mão de obra no Brasil continua a ser um produto barato?
- Não. A mão de obra no Brasil não é mais um produto barato porque só de tributos em cima do salário do empregado você paga mais 100%. 
- Isso é cruel.
- Se você tiver um empregado que ganha 5 mil de salário, você vai pagar 10 mil.
- Acha que a economia do Brasil vai sobreviver com essa carga fiscal?
- Sempre sobreviveu e até já se viveram tempos muito piores. Todo o empresário no Brasil tem que se virar com isso a continuar ganhando dinheiro do mesmo jeito. Tem que se adaptar.
- Essa carga fiscal não leva os empresários à economia subterrânea?
- Também existe isso
. Existe uma economia paralela ou sub-economia como lhe chamamos. No entanto, a legislação brasileira é muito paternalista nesta questão. Se você tem uma pessoa como "empregado informal", essa pessoa depois te processa judicialmente e ganha.
- Na área do Direito do Trabalho, o Brasil segue as pisadas da Europa deixando o trabalhador em vantagem?
- Categóricamente sim. Mais que no Reino Unido que é também um regime paternalista em relação aos trabalhadores.
* Um dos casos mais famosos foi de Mohamed al-Fayed qu foi dono da House of Fraser que por sua vz detinha os famosos Armazéns Harrods. O Reino Unido, nunca deu a cidadania britânica ao egípcio apesar de grandes lutas travadas nos tribunais de Londres.
 

Comentar


Código de segurança
Actualizar


Page Peel Banner

Tradutor

Portuguese English French German Italian Spanish
Faixa publicitária

JoomCategories for JoomGallery